שמע ישראל י-ה-ו-ה אלקינו י-ה-ו-ה אחד
Shemá Yisrael Adonai Elohêinu Adonai Echad

sábado, 23 de julho de 2011

Evangelho de João 1:1-14 - Transliteração do Grego.

Evangelho de João 1:1-14 - Transliteração do Grego.


Tudo por meio dela veio a existir,
e aparte dela nada viria a existir daquilo que existe
Transliteração de João 1:3

Esta postagem é resultado de adaptação de resposta a um pedido de transliteração do texto original grego de João capítulo 1° dos versos 1° ao 14°, nos feito pelo nosso caro participante Zergon.

Tal transliteração é particularmente minha, cuja qual fiz a partir do texto tido por nós do Blog como sendo o mais antigo manuscrito e portanto o de maior confiabilidade, a saber o Textus Sináiticos, não que os outros manuscritos em particular neste trecho tenham alguma divergência.

Com essa transliteração podemos ver que o texto é mais simples do que parece, e nos revela o quão inosada é a teologia feita encima de más traduções, principalmente o tema de o Verbo ser D-us ou D-us ser o Verbo conforme já tivemos a oportunidade de comentarmos aqui no Blog no seguinte link:
http://judeu-autonomo.blogspot.com



Zergon disse para Metushelach:

Só para contextualizar melhor, qual seria a tradução literal correta de João 1:1-14. somente esse trecho de João que eu ainda tenho dúvidas sobre a tradução fiel do hebraico.

 
Metushelach disse para Zergon:

O Evangelho de João não tem nenhum manuscrito ou fonte histórica que comprovem que ele tenha sido originalmente escrito em Hebraico, o que não ocorre com o Evangelho de Mateus que em sua inteireza foi escrito em hebraico, segundo manuscritos e relatos Históricos como por exemplo as citações de Eusébio de Cesaréia em sua obra - História Eclesiástica (Livro 6, Capítulo XXV, 2° e 3° Parágrafos), comprovamos a originalidade em hebraico do Evangelho publicado para os Judeus Messiânicos do 1° século.

Já o Texto Aramaico de João não é 100% confiável e a versão em Hebraico Moderno não tem originalidade nos hebraísmos e quase que parafraseia as versões em Inglês, sendo assim eu postarei a versão grega admitida como sendo a mais antiga, o Textus Sináiticos, João 1:1-14:

1 Ἐν ἀρχῇ ἦν λόγος, καὶ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν, καὶ θεὸς ἦν λόγος. 2 οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν. 3 πάντα διαὐτοῦ ἐγένετο, καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἓν γέγονεν 4 ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων· 5 καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει καὶ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν. 6 Ἐγένετο ἄνθρωπος ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης· 7 οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός, ἵνα πάντες πιστεύσωσιν διαὐτοῦ. 8 οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς ἀλλἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός. 9 Ἦν τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν, φωτίζει πάντα ἄνθρωπον, ἐρχόμενον εἰς τὸν κόσμον. 10 ἐν τῷ κόσμῳ ἦν καὶ κόσμος διαὐτοῦ ἐγένετο καὶ κόσμος αὐτὸν οὐκ ἔγνω. 11 εἰς τὰ ἴδια ἦλθεν καὶ οἱ ἴδιοι αὐτὸν οὐ παρέλαβον. 12 ὅσοι δὲ ἔλαβον αὐτὸν, ἔδωκεν αὐτοῖς ἐξουσίαν τέκνα θεοὺ γενέσθαι, τοῖς πιστεύουσιν εἰς τὸ ὄνομα αυτοῦ, 13 οἳ οὐκ ἐξ αἱμάτων οὐδὲ ἐκ θελήματος σαρκὸς οὐδὲ ἐκ θελήματος ἀνδρὸς ἀλλἐκ θεοῦ ἐγεννήθησαν. 14 Καὶ λόγος σὰρξ ἐγένετο καὶ ἐσκήνωσεν ἐν ἡμῖν, καὶ ἐθεασάμεθα τὴν δόξαν αὐτοῦ, δόξαν ὡς μονογενοῦς παρὰ πατρός, πλήρης χάριτος καὶ ἀληθείας.

Vertendo para o português temos: 1 No Princípio era a Palavra, e Palavra estava em D-us, e D-us era a Palavra (ou Razão que é uma tradução admitida para o termo Lógos) 2 a mesma que estava no Princípio em D-us 3 Tudo por meio dela veio a existir, e aparte dela nada viria a existir daquilo que existe 4 Nela(ou em si) a vida existia, e a vida era a luz da Humanidade 5 A luz em meio as trevas brilha, e as trevas não a suprimiram. 6 Houve um homem enviado por D-us, chamado Yochanan, 7 Ele veio como testemunha, para testemunhar sobre a Luz, para que todos cressem por meio dele. 8 Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. 9 Era a luz a verdade que iluminava todos os homens que entram no mundo. 10 Ela estava no mundo, e por meio dela o mundo veio a existir, e o mundo não a compreendeu (ou percebeu) 11Ela veio para os seus e os seus não a receberam 12 Mas a todos quantos a receberam deu-lhes o poder de se tornarem filhos de D-us, aos que crêem no seu nome. 13 dos quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de D-us foram gerados. 14 A Palavra se tornou um Ser Humano, e tabernaculou entre nós e vimos a sua glória como a glória do único gerado do Pai, cheio de graça e de verdade.

 

Esperamos que tal transliteração possa iluminar o entendimento dos que encontravam pedras de tropeço na passagem de João 1.

Por Metushelach Ben Levy.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Estrela da Manhã - Heilei Ben Shachar X Estrela de Jacó

Este post é fruto de uma questão levantada por um de nossos participantes do Blog nosso caro Zergon, e que para respondermos sua questão fizemos uma análise aprofundada sobre os termos que são vertidos para o português como Estrela da Manhã.

Zergon pergunta:
Por que Lúcifer; em Isaías 14:12 é comparado a estrela da manhã e Yeshua também em Apocalipse 22? Afinal quem é a estrela da manhã? O que dizem as escrituras no original grego, hebraico e aramaico?

Metushelach responde:
O termo “estrela da manhã” de Isaías 14:12 é uma entre diversas traduções da expressão em Hebraico הילל בן שחר  “Heilel Ben - Shachar”. Vamos analisar os termos separadamente para entendermos melhor a expressão.

Heillel -  tem um sentido primário de brilhar, mas este termo vem da raiz Halal que significa atrair a atenção para se vangloriar, auto proclamar-se, e em algumas traduções modernas “dar um showzinho”.

Ben -  tem um sentido bem mais amplo do que o conhecido Filho ou Descendente, também pode significar figurativamente objetos inanimados, coisas sem vida, como por exemplo, faíscas e flechas, mas nesta passagem significa estrela, então concluímos que na passagem de Isaías que a "estrela" vem do Termo “Ben” é não de Heilel.


Shachar - tem relação com a idéia do lusco-fusco matutino, portanto não algo luminescente e claro. Existe a comparação destes termos em conjunto com a aparência de Vênus, que sendo o terceiro astro em luminescência depois do Sol e da Lua, se mostra imponente e sozinho em meio à penumbra do amanhecer.
Vênus

Agora a partir destes significados podemos entender a expressão הילל בן שחר  “Heilel Ben - Shachar”, bem como não se esquecendo de levar em conta o contexto depreciativo do verso 12 de Isaías, da seguinte forma no texto parafraseado por mim: “Como caíste desde o céu, ó ser orgulhoso que quer se mostrar como uma estrela que brilha sozinha na escuridão do amanhecer! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações”.


Agora vamos analisar os textos de 2 Pedro 1:19 e Apocalipse 22:16 onde Yeshua é comparado a estrela da manhã da expressão grega ἀστὴρ λαμπρὸς “astēr o lampros”, que num contexto de ententimento grego não tem significado algum, mas no hebraico tem referência a uma profecia messiânica feita por Bil’am (Balaão) em Números 24:15-19 “Então proferiu a sua parábola, e disse: Fala Bil’am, filho de Beor, e fala o homem de olhos abertos;Fala aquele que ouviu as palavras de D-us, e o que sabe a ciência do Altíssimo; o que viu a visão do Todo-Poderoso, que cai, e se lhe abrem os olhos.Vê-lo-ei, mas não agora, contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó e um cetro subirá de Israel, que ferirá os termos dos moabitas, e destruirá todos os filhos de Sete. E Edom será uma possessão, e Seir, seus inimigos, também será uma possessão; pois Israel fará proezas. E dominará um de Jacó, e matará os que restam das cidades.”


Yeshua - Estrela de Yaacov
estreito siginificado com a Estrela de Belém

Portanto a Estrela de Jacó, כוכב “Kowkab”, da passagem acima é ninguém menos que o Mashiach Libertador e este entendimento é compartilhado por escritos de nossos Sábios Rabinos como, por exemplo, no Testamento de Levy 17:3 e Testamento de Yahudá 24:1-5 que retratam a história de rabi Akiva que escolhe um rebelde chamado Sh’imon e o declara Mashiach o chamando a partir daí de “filho da estrela” ou mais conhecido como Sh’imon Bar-Kochba, rabi Akiva assim o faz por entender a profecia messiânica vaticinada por Bil’am (Balaâo).
No século XII o Ramban Nachmanides tem o mesmo entendimento a cerca do Mashiach como Estrela de Yaacov e assim publica uma midrash sobre o assunto.


Fontes pesquizadas:
Testamento de Levy e Testamento de Yahudá.
Comentário Judaico do Novo Testamento - David Stern.
Bíblia Hebraica.
Dicionário Strong.



quinta-feira, 14 de julho de 2011

Hebreus 9 - Análise superficial do Capítulo 9 da Epístola aos Hebreus

Este texto se refere a uma análise superficial do Capítulo 9 da Epístola aos Hebreus, na tentativa de se corrigir algumas falhas de interpretação evangélica, mas especificamente pentecostal sobre a questão de a “antiga aliança” ter se tornado inútil e ter sido completamente abolida por Yeshua.

Questão proposta por Elvis para análise:
D-us aboliu o primeiro testamento: Hebreus 9:1-28 em especial Hb 9:1-15.

Metushelach disse:
Não sei se você já tem acesso à BJC, sendo assim eu transcreverei o Capitulo 9 todo de Hebreus segundo a versão de David Stern na Bíblia Judaica Completa:
Hb. 9:1 Ora, a primeira aliança possuía regras relativas à adoração e um Lugar Sagrado aqui na terra. 2 Uma Tenda foi erigida, chamada Lugar Sagrado (Santo Lugar); nela estavam a menorah, a mesa e o pão da proposição. 3 Atrás do segundo véu, esta a tenda chamada de Lugar Especialmente Santo (Lugar Santíssimo ou Santos dos Santos), 4 onde se encontravam o altar de ouro para a queima do incenso e a Arca da Aliança, totalmente revestida de ouro. Na Arca, estavam o vaso de ouro que continha o maná, a vara de Aharon (Arão), que floresceu, e as Tábuas da Aliança, feitas de pedra; 5 acima dela, estavam os Kruvim (Querubins) que representavam a Shhinah (glória), lançando sua sombra sobre a tampa da Arca - Dessas coisas, todavia, não falaremos, agora, pormenorizadamente.
6 Com tudo arranjado desta forma, os Kohanim (Sacerdotes ou Filhos de Levy) entram na tenda exterior (Santo Lugar) todo o tempo para exercer suas funções. 7 mas apenas o Cohen HaGadol ( Sumo Sacerdote ou Filho de Arão) entra na tenda interior (Santíssimo Lugar). Ele o faz apenas uma vez por ano (Yom Kippur) e deve sempre levar sangue, o qual oferece por sim mesmo e pelos pecados que o povo cometeu por ignorância. 8 Por essa (ordem na sucessão dos acontecimentos), a Ruach HaKodesh mostrou que , enquanto a primeira tenda (Santo Lugar), estivesse em pé, o caminho para o Lugar Sagrado (Santíssimo Lugar) permanecia fechado. 9 Isso simboliza a era presente e indica que a consciência da pessoa que desempenha o serviço (Sacerdote) não pode ser alcançada pelas ofertas de sacrifícios realizados. 10 Porque essas práticas envolviam apenas comidas, bebidas e diversos tipos de lavagens cerimoniais - regras concernentes à vida exterior ( práticas externas mostradas pelo agir da pessoa em carne e não em espírito), impostas até o tempo em que D-us reformulasse toda a estrutura (ordem na sucessão dos acontecimentos).
11 Quando o Mashiach apareceu, como Cohen HaGadol ( Sumo Sacerdote da Ordem de Melkdzek) das coisas boas que já estão acontecendo, então, por meio da tenda maior e perfeita (Santíssimo Lugar Original nos Céus), não criada pelos homens, isto é, ela não pertence ao mundo criado,12 ele entrou no Lugar Santíssimo de uma vez por todas. ( e não como o Sumo Sacerdote da Ordem de Levy que entrava uma vez por ano no Yom Kippur, não sem antes ter oferecido sacrifício por si mesmo).
Ele não o fez por meio de sangue de bodes e bezerros, mas pelo próprio sangue, libertando, dessa forma, seu povo para sempre. 13 Se a aspersão sobre as pessoas cerimonialmente impuras com o sangue de bodes e touros, e as cinzas de uma novilha, restauravam-lhes a pureza exterior, 14 quanto mais o sangue do Mashiach, que , pelo Espírito eterno , se ofereceu a D-us como sacrifício imaculado, purificará nossa consciência das obras que conduzem à morte, para que possamos viver e servir ao D-us Vivo!
15 Por causa dessa morte, ele é o mediador de uma nova aliança ( ou Novo Testamento). Visto que sua morte liberta as pessoas das transgressões cometidas sobre a primeira aliança - os que tem sido chamados podem receber a prometida herança eterna. 16 No caso de um testamento só tem efeito no caso de morte, ele jamais vigora enquanto a pessoa que o fez está viva.
18 Esta é a razão pela qual a primeira aliança também foi inaugurada com sangue. 19 Depois de Moshe ter anunciado cada mandamento da Torah a todo o povo, ele pegou sangue de bezerros, água e usou lã escarlate e hissopo para aspergir o rolo e todo o povo, dizendo: 20 Este é o sangue da aliança que D-us lhes ordenou. 21 Da mesma forma, aspergiu com o sangue o Tabernáculo e todos os utensílios de suas cerimônias. 22 Pois, segundo a Torah, quase todas as coisas são purificadas com sangue; de fato, sem derramamento de sangue não há perdão de pecados.
23 Portanto, essa é a razão pela qual as cópias das coisas celestiais deveriam ser purificadas, mas as próprias coisas celestiais requerem sacrifícios superiores a esses. 24 Porque o Mashiach entrou no Lugar Santíssimo, que não foi feito por seres humanos - mera cópia do verdadeiro; ele entrou no próprio céu, para se apresentar agora a nosso favor na presença de D-us.
25 Além disso, ele não entrou no céu para oferecer as sim mesmo repetidamente, como o Cohen HaGadol que entra no Lugar Santíssimo ano após ano com sangue alheio; 26 se assim fosse, ele teria de sofrer a morte muitas vezes - desde a fundação do Universo. Mas, agora, ele apareceu uma vez no fim dos tempos, a fim de eliminar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo.27 Da mesma forma que os seres humanos devem morrer uma vez, e depois disso vem o juízo, 28 também o Mashiach, tendo sido oferecido uma única vez pelos pecados de muitos, aparecerá segunda vez, não para lidar com o pecado, mas para libertar aqueles que esperam ansiosamente por ele.

* Observação: as frases que figuram entre parênteses são de minha autoria, que servem para auxiliar no entendimento de alguns termos, e a no objetivo de fazer algumas ligações contextuais aos demais textos Bíblicos.

Elvis disse:
Caro Metushelach,
Agradeço por sua primeira resposta e tenho a BJC, porém o dito pastor me indagou se baseando na JFA-RC e JFA-RC Fiel, enfatizou o versiculo 15 e o subtítulo desse assunto é "A imperfeição da primeira aliança", sendo assim afirma ele que Jesus teria abolido a "imperfeita" primeira aliança e inaugurado a nova aliança onde a primeira nao mais tivesse lugar, infelizmente nao pude usar a BJC por ser bem mais clara por puro anti-semitismo protestante, ou seja, ele nao aceitaria uma biblia traduzida por um judeu, o que eu particularmente acho preconceito descabido e sem proposito, porem usando a JFA-RC teriamos como anular essa interpretaçao deturpada e tendenciosa contra a Torah utilizando o proprio novo testamento como antídoto teológico?

Metushelach disse:


Primeiro digo que demorei novamente pois por ser o texto claro demais para mim, pois eu não consegui ver qual era o problema que ele poderia causar numa interpretação corriqueira, portanto tive que conversar com alguns pentecostais e solicitar que eles me descrevessem as suas impressões do texto de Hebreus 9; E daí sim reparei em que erro eles incorrem na leitura sem contexto.

Problema inicial notado, é o da idéia que a Torah como um todo foi abolida por Yeshua no Madeiro, por ser a Torah envelhecida e imperfeita e carnal.

Constatamos somente nesta argumentação dois erros que não levam o contexto bíblico em consideração, primeiro é o de se não ler as palavras de Yeshua principalmente em Mateus 5:17-20 e contexto, pois nesta passagem vemos que Yeshua não veio abolir a Torah e os Profetas mas veio para cumpri-los, e este termo cumprir vem do grego
πληρῶσαι “plērōsai”, que não quer dizer cumprir no sentido de finalizar pois senão entraria em conflito com o termo abolir que teria o sentido de tirar fora ou acabar, sendo assim senão é finalizar no sentido de abolir para não contradizer a própria construção gramatical e lógica da frase então temos as seguintes opção que cabem ao vocábulo “plērōsai”, como por exemplo completar, preencher, plenificar, trazer plenitude, aperfeiçoar. A raiz desta palavra aparece em outras 86 ocasiões no Novo Testamento em grego com os sentidos sempre no mesmo escopo ao desta passagem e nunca como finalizar.
Conclui-se portanto que Yeshua veio completar o entendimento da Torah e dos Profetas cumprindo o que era profetizado a seu respeito e plenificando o entendimento que era superficial e apenas externo na interpretação da Torah, tanto que vemos isso nos versos posteriores de Mateus 5, por exemplo no verso 21-22 ao ser ter como assassino aquele que não apenas mata o seu próximo fisicamente mas sim todo aquele que, se encoleriza, se ira, guarda rancor e humilha o seu próximo, vemos aqui que o nível moral requerido dos que nascem de novo pelo poder Regenerativo de D-us manifesto através da Ruach HaKodesh, é muito maior do que era requerido antes, no primeiro pacto, no Sinai. Confirmamos este entendimento também com a frase de Yeshua no verso 20, no qual ele diz aos seus seguidores que eles teriam que excederem, ir além da pratica superficial e material da Torah apregoada e vivida pelos escribas e fariseus, excedendo a justiça deles e entendendo por meio da “plērōsai” plenificação da Torah e dos Profetas trazida por Yeshua, como que o nascido de novo tem que agir e direcionar a sua conduta em sua nova posição diante de D-us, agora não mais como apenas criaturas mas sim agora como filhos.

O segundo ponto de má interpretação de Hebreus 9 é o de ter a Torah como envelhecida e imperfeita e carnal, e isso acontece principalmente por epígrafes tendenciosas e não inspiradas que Intitulam as passagem Bíblicas de forma errônea.

Primeiro lendo o que Shaul (Paulo) falou da Torah em Romanos 7:14 vemos que a Torah não é carnal e sim espiritual dada por D-us por intermédio de anjos (At. 7:53 e Gl. 3:19), vemos também que quem é carnal é o homem não regenerado que se encontra escravizado pelo seu marido o pecado com quem casou no momento que pecou conforme contexto de Romanos 7 todo, vemos que por ter casado com o pecado o homem, mais precisamente Israel no contexto de Hebreu 8:11 é que quebrou o concerto, a aliança (mal traduzido por testamento), feita com D-us, aqui está a imperfeição da aliança, vemos que o problema não é com a aliança em si mas sim com um dos pactuantes que quebraram o pacto e a aliança, sendo assim por causa da imperfeição de um dos pactuantes a própria função da aliança em aperfeiçoar o homem por meio do entendimento do que é a vontade de D-us, expressa na Torah também se tornou inoperante, e esta aparente imperfeição da aliança que se aperfeiçoou em Yeshua, foi a capacidade de o pacto de derramamento de sangue ser capaz agora de aperfeiçoar a consciência do ofertante, pois ao se utilizar do sangue de Yeshua que está fresco e não seco, mediante a fé que o pecador se achegar ao Senhor e pode renascer em novidade de vida, partindo do zero, recebendo a nova aliança profetizada por Jeremias 31:31-34, que é relembrada em Hebreus 8:8-13, vemos que mesmo estabelecendo uma nova aliança na CASA DE ISRAEL e de JUDÁ o Senhor não aboli, acaba ou menospreza a Torah, pois ela apenas muda de lugar, saindo das pedras que representam o coração não aperfeiçoado de um dos pactuantes da primeira aliança, a saber Israel, conforme
Ezequiel 36, colocando a Torah agora nos corações de carne conforme Ezequiel 36:26 e no entendimento dos que se utilizam mediante a fé do Sangue da nova aliança corforme Mt. 26:28, que a saber é o sangue não de touros e bezerros que não podem aperfeiçoar apenas purificar exteriormente, mas sim o sangue do cordeiro que tira o pecado do mundo, daquele que sem pecados eternamente (Hb. 7:22-26) pode ser responsável pela nova aliança que agora aperfeiçoa o ofertante.
Vemos então que o que foi aperfeiçoado e não abolido, revogado, menosprezado foi a maneira de como se fazia a purificação do individuo da primeira aliança.
Sendo que tal procedimento era feito  por intermédio de um sacerdócio que por ser oficiado por homem, que sendo pecador teria que sempre que oferecer primeiro o sacrifício por si e depois pelos outros, e também por ser mortal tal homem oficiante, teria ele que sempre ser substituído(Hb. 7:23, 27).
Houve também o aperfeiçoamento do sangue que deveria ser derramado que não mais é o de touros, bezerros, novilhas vermelhas e outros mas sim de uma só vez com efeito eterno (Hb. 9:26-28) foi vertido o sangue do cordeiro imaculado Yeshua, para aperfeiçoamento dos que o esperam (verso 28).

Espero ter contribuído para uma melhor interpretação contextual bíblica deste texto.
Faça um blogueiro feliz, Comente porfavooooooooooooor