שמע ישראל י-ה-ו-ה אלקינו י-ה-ו-ה אחד
Shemá Yisrael Adonai Elohêinu Adonai Echad

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Shavuot e a Capacitação dos Santos

Shavuôt e a Capacitação dos Santos

Estamos celebrando nesta semana a Festa de Shavuôt (Pentecostes). Shavuôt é uma das três festas de peregrinação mencionadas na Torá, além de Páscoa (Pêssach) e Sucôt (Tabernáculos). Nestas festas, judeus e não judeus de todas as partes do mundo se reuniam em Jerusalém para adorar ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó.

Shavuôt tem duração de dois dias apenas, e representa a festa com maior apelo às nações. Temos como tradição a leitura dos Asseret Há Devarim (As Dez Palavras ou Dez Mandamentos) além da leitura de Rute. Também é costume passar à noite em claro estudando a Torá e os Profetas, em especial Jeremias e Ezequiel. Em Shavuôt, optamos por comer alimentos à base de leite, pois a Torá é comparada à nutrição do leite e à doçura do mel. No início, comemorava-se nesta data apenas a entrega das primícias dos cereais nos dias do Beit Há Mikdásh (Templo em Jerusalém). Atualmente, comemoramos a outorga da Torá ao Povo de Israel e a toda a humanidade, uma vez que durante esta Festa a Lei foi revelada no Sinai ao povo de Israel. De acordo com o Talmud (Hagigá 12ª), o rei David morreu no dia de Shavuot. O famoso Baal Shem Tov, fundador do movimento Chassídico, também faleceu em Shavuot em 1760. Em Shavuot celebramos a capacitação espiritual para sermos testemunhas do Eterno neste mundo. Tanto no Sinai, quando em Sião (At cap. 2), ocorreu a mesma coisa. Segundo a tradição rabínica, a Torá não foi dada no Sinai. Ela foi RELEVADA. Daí, todo judeu, nascido posteriormente ao evento no Sinai, pode, em espírito, ter a mesma experiência que seus antepassados tiveram durante a outorga da Lei. Da mesma forma, a experiência dos apóstolos no Monte Sião (At 2) também pode e deve ser re-experienciada por todo temente ao Deus de Israel. Estes dois eventos (Ex 20 e At 2) são paralelos e convergem espiritualmente para o mesmo fim = Capacitação Espiritual com os dons do espírito para realização de nosso chamado maior: Sermos LUZ para o mundo!

A Festa de Shavuot é muito especial pois finalizava o final dos 50 dias de colheita e ajuntamento das primícias para serem oferecidas a Deus. Um dos principais aspectos de Shavuot era a cerimônia de apresentação desses primeiros frutos na Casa de Deus em Jerusalém, oferecendo-os aos sacerdotes e levitas. A dádiva da Torá no Monte Sinai também é associada à Festa de Shavuot, e é claro que esta é a razão pela qual Deus escolheu este dia para manifestar o Seu Espírito sobre os Apóstolos, o povo de Israel e os habitantes de Jerusalém.

Nas comunidades judaicas ao redor do mundo temos em Shavuôt uma noite inteira de estudos, comida e adoração. Este é um costume muito antigo, onde passamos toda a noite estudando a Palavra de Deus.

Shavuôt é também a Festa dos tementes a Deus e dos prosélitos. Apesar do apóstolo Paulo ser totalmente contra a judaização de gentios, contra a circuncisão e a conversão ao judaísmo por parte de não judeus, Paulo trabalhava arduamente para que os gentios aceitassem e recebessem ao Deus de Israel como seu Deus e para que abandonassem os ídolos e deuses os quais adoravam. Em outras palavras, Paulo não pregava um evangelho “sem lei”, e não permitia que os gentios continuassem em seus caminhos de idolatria. Pelo contrário, ele trabalhava para que os gentios largassem seus ídolos e se voltassem ao Deus de Israel. Essencialmente, Paulo queria que os gentios se convertessem da idolatria à Fé em um único Deus, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó e Seu filho Yeshua, o Rei dos Judeus. A idéia é que estamos juntos mas somos diferentes, o judeu permanece judeu e o gentio não se converte ao judaísmo. É isto que realmente significa estar enxertado na oliveira natural (Romanos capítulo 11).

Então, de certa forma, todo não judeu que entregou sua vida a Deus e a Yeshua o Messias, é um “semi-prosélito”. Ele deixou os ídolos de seus familiares e se voltou ao Deus de Abraão; deixou os muitos deuses gregos e romanos e se associou ao Deus de Jerusalém e da Terra de Israel. Talvez esta forma de enxergar a teologia paulina é bem diferente do que muitas pessoas estão acostumadas a ler, mas se analisamos os ensinos de Paulo sob o ponto de vista bíblico, veremos que é exatamente isso que Paulo estava pregando. Foi por isso que Paulo voltou a Jerusalém com os sete jovens não judeus e com a contribuição das Igrejas da Ásia menor e da Grécia em favor dos santos de Jerusalém. Verdadeiramente, o que Paulo estava fazendo era cumprir as promessas que Deus deu aos profetas de Israel, onde não judeus se uniriam a Israel na adoração ao Deus vivo: “E muitos povos virão e dirão: ‘Vamos todos subir ao Monte do Senhor, rumo à casa do Deus de Jacó; para que Ele nos ensine os seus caminhos e para que andemos em suas veredas. Pois de Sião sairá a Lei (Torá) e a palavra de Deus de Jerusalém” (Is 2:3).
Chag Shavuot Sameach (Feliz Festa de Shavuot)!
Escrito por Matheus Z. Guimarães
Disponível em http://www.ensinandodesiao.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=207&Itemid=28

16 comentários:

  1. Não é um comentário mas sim uma questão: O que é adorar a Deus? Eu pensei que prostrar-se para orar seria adoração. Então o que é adorar a Deus? Como se adora a Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorar na concepção judaica está atrelado ao entendimento do vocábulo Avodáh, que quer dizer serviço, serviço vem do servir a D_us como sacerdote, então temos que ter em meio o papel de um sacerdote para saber o que é adorar à D-us, isso é, não é apenas um pensamento positivo ou mera prostração, e sim um serviço diário de renuncias aos nosso desejos para servir à vontade de D-us, para que ao fazermos isso possamos refletir a imagem e semelhança de D-us para que Ele seja conhecido, engrandecido, honrado e glorificado. E é esta a nossa função, frutificar na terra os frutos que provem de D-us e assim conquistar o mundo para também adorar e honrar à D-us.

      Excluir
    2. Agradeço sua pronta resposta, mas nestas passagens, adorar também é serviço? Então inclinou-se aquele homem e adorou ao Senhor, Gênesis 24:26; E, quando o viram (isto é, a Jesus), o adoraram; mas alguns duvidaram. Mateus 28:17; Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou (isto é, a Jesus). João 9:38; E disse-lhe o Diabo à Jesus): Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Mateus 4:9 etc. Não entendi bem. Se houver post seu para eu ler, agradeço.

      Excluir
  2. Olá Metushelahc estou muito feliz, por ter encontrado o teu blogue com tantos comentários maravilhosos, e para mim foi resposta de oração pois a 6 anos atras eu estava com o templo lotado, quando comecei a falar sobre as verdades não reveladas aos evangélicos, que são ; que o homem é mortal. não existe ninguém queimando no inferno, nem no paraíso seio de Abraão,como eles dizem, certo que foi embora quase todos, estou praticamente começando com uns trinta membros. Peço a sua ajuda para fazer um credo que consiste nas verdades basadas nos originais. Desde fico no aguardo, hoje é nosso primeiro contato estou apenas me identificando, posteriormente listarei minhas dificuldades que são muitas, porem o projeto é grande vamos alinhar os pensamentos e tenho certeza que levaremos aos milhares a se enxertar na videira verdadeira YESHUA O FILHO DE DEUS nosso PAI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe caro Antõnio, mas acho desnecessário fazer um credo quando já existe a bíblia ao alcance de todos, a liberdade para que todos peçam capacitação dos céus para melhor compreende-la e aplica-la na vida.
      Fora que Credo me soa como uma caraterística impositiva de um concílio, onde poucos decidem o certo em detrimento de uma multidão que também vivencia a vontade e o mover de D_us no meio deles.

      Excluir
    2. Caro Metushelach Ben Levy shalom, eu não pretendo fazer um credo onde consta proibição alguma para a noiva do Cordeiro, a questão é estabelecer um só pensamento enquanto uns observa o santo sábado outros não, o outro quer pregar que ao morrer vai de imediato para o paraíso ou para o inferno de fogo e assim vai já pensou uma reunião com tantas divergências, isso porque éramos todos Assembleianos rocho essa é a necessidade de termos uma doutrina para todos,por isso preciso muito da sua ajuda para não ensinar aquilo que não tem fundamento, para começar o que você me diz do estudo 26 razões porque ninguém não vai morar no Céu?

      Só lembrando eu e minha família oramos sempre por todos Yahudins do mundo todo e especialmente por Yerushalaym, você não tem noção da minha alegria de estar sendo abençoado por um judeu através do seu conhecimento, que o ETERNO te recompense!

      Excluir
    3. Primeiramente agradeço pelas palavras.

      Tudo que é enlatado e repassado não faz bem, então apesar das 26 razões serem convincentes, elas só estão passando de boca em boca sem muita observação dos textos e por menores para poder fazer o leitor da Biblia conseguir chegar a conclusão por si mesmo observando um contexto Biblico capa a capa e não achismos ou textos isolados cirurgicamente retirados do contexto para dizer isso ou aquilo. Em resumo o que te leva a crer que existe morada no céu? que alguém irá pra lá ? e coisas do tipo baseado nos textos biblicos erroneamente interpretados, e como podemos utilizando da lógica contextual desfazer tais erros.

      Excluir
  3. Shallom, Metushelach.
    Qual a sua opinião bíblica a respeito daqueles que morreram sem condição de conhecer o Senhor, como os negros na época da escravidão, que eram proibidos de entrar nas igrejas?
    Como explicar Daniel 12:02 e João 6:39 que dizem: " uns ressuscitarão para vida eterna e outros para o desprezo eterno". Como explicar isso sendo que Yeshua prometeu que ressuscitaria no ultimo dia os que o Pai deu a Ele. Quem vai ressuscitar os ímpios, se quem tem o filho tem a vida e quem não tem Ele não tem vida em si mesmo, e como em Gn. 3:19 é uma verdade absoluta, como haverá ressurreição para ímpios?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conforme vários textos sabemos que haverá duas ressurreições, uma dos justos para receber um corpo incorruptível na vinda do Mashiach para reinarmos com ele por mil anos, e outra ressurreição após este mil anos para que os que foram injustos, rebeldes e contra D_us, mas não pra ter corpos incorruptíveis mas sim para o julgamento diante do Trono Branco e a devida pena por seus pecados e escolhas, conforme os textos a seguir:

      Excluir
    2. João 5.21 Pois assim como o Pai ressuscita e vivifica os mortos, assim também o Filho vivifica aqueles a quem quer.
      5.22 E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento,
      5.23 a fim de que todos honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou.
      5.24 Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida.
      5.25 Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão.
      5.26 Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo.
      5.27 E lhe deu autoridade para julgar, porque é o Filho do Homem.
      5.28 Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão:
      5.29 os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.
      5.30 Eu nada posso fazer de mim mesmo; na forma por que ouço, julgo. O meu juízo é justo, porque não procuro a minha própria vontade, e sim a daquele que me enviou.

      Excluir
    3. Atos 24.14 Porém confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas,
      24.15 tendo esperança em Deus, como também estes a têm, de que haverá ressurreição, tanto de justos como de injustos.

      Excluir
    4. 1 Tessalonicenses 4.13 Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança.
      4.14 Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem.
      4.15 Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.
      4.16 Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro;
      4.17 depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.
      4.18 Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.

      Excluir
    5. Apocalipse

      20.1 Então, vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente.
      20.2 Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos;
      20.3 lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos. Depois disto, é necessário que ele seja solto pouco tempo.
      20.4 Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dos decapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.
      20.5 Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição.
      20.6 Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos.
      20.7 Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão
      20.8 e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar.
      20.9 Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém, fogo do céu e os consumiu.
      20.10 O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos.
      20.11 Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles.
      20.12 Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.
      20.13 Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. E foram julgados, um por um, segundo as suas obras.
      20.14 Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo.
      20.15 E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo

      Excluir
  4. Quanto aos que não ouviram o evangelho de alguem caberá a D-us julgar justamente, mas só lembrando... quem pregou a verdade para Avraham, quem pregou a verdade a Moshê e mais quem pregou a verdade à Paulo, sendo assim o não ter a devida pregação do evangelho por outras pessoas não implica que pessoas posam ter morrido sem conhecer a verdade de Yeshua.

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, Comente porfavooooooooooooor