שמע ישראל י-ה-ו-ה אלקינו י-ה-ו-ה אחד
Shemá Yisrael Adonai Elohêinu Adonai Echad

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Por que acredito que o arrebatamento acontecerá depois da Grande Tribulação?

Vértebra Escatológica

Acredito firmemente em uma teoria que denomino de “vértebra escatológica”. O que é isto? Assim como a vértebra humana é central na formação nervosa, óssea e todo o corpo é sustendo por ela, acredito que exista um texto na Bíblia que deve ser considerado o sustentáculo, o pilar central da Escatologia – o estudo acerca do Final dos Tempos.

Acredito firmemente que o único texto que se enquadra neste perfil de vértebra escatológica se encontra em Mateus capítulo 24, as palavras de Yeshua (Jesus) a respeito das últimas coisas. Considero suas versões em Lucas 21 e Marcos 13 textos complementares de Mateus 24.

Acredito que Mateus 24 se enquadra no perfil de vértebra no estudo da Escatologia, por vários motivos, porém listarei alguns que considero de suma importância:

1º Yeshua descreve o final dos tempos sob uma pergunta que os discípulos fizeram, na verdade eles formularam um questionamento típico dos escatólogos, ou seja a pergunta que qualquer estudioso das últimas coisas gostaria de fazer ao Mestre. “Dize-nos quando acontecerão estas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e dos fins dos tempos?” (v.3). Ora, deste questionamento Yeshua vem traçando, quase em ordem cronológica, os sinais do fim, bem como seu advento.

2º A ambiência em que Yeshua narra o final dos tempos é bem apropriada. Yeshua está geograficamente no centro do cumprimento profético, no coração das profecias, está em uma ambiência escatológica, Yeshua está no Monte do Templo em Jerusalém. (v.1).

3º A narrativa está quase em ordem cronológica, percebe-se isto na lógica do texto. O uso de expressões como: Então, quando, logo, etc. Indicam marcação de tempo, isto é importantíssimo para compreendermos a manifestação das últimas coisas.

Muitos ainda assim, afirmam que o texto faz referência a Israel. Porém, tenho minhas dúvidas se o texto também não se aplica à toda comunidade de salvos no mundo. O testemunho do advento não será restrito aos judeus como veremos no desenvolvimento deste pequeno artigo.

A Escatologia do Messias

Fiz esta introdução para que tenhamos em mente, que Mateus 24 é a Escatologia do Messias. Todos os outros textos que temos nas Escrituras desde os profetas até Apocalipse estão submetidos pela visão escatológica do Messias. Qualquer interpretação bíblica sobre o final dos tempos que, fuja a visão de Yeshua sobre este assunto, deve ser reavaliado.

E o quê Yeshua diz sobre as últimas coisas? Esta deve ser a humilde pergunta que o teólogo sincero deve fazer. Como Yeshua descreve e profetiza o Final dos Tempos?

Vejamos nos tópicos a seguir como é a Escatologia do Messias em Mateus 24:

“... quando sucederão estas cousas, e que sinal haverá da tua vinda e da consumação dos séculos?” (Mt 24.3).

1. “Princípio das Dores” Mateus 24.4-9

- Falsos Messias;
- Engano;
- Guerras e Rumores de Guerra;
- Nação contra nação, Reino contra Reino;
- Fomes, Terremotos em vários lugares.

2. “A Grande Tribulação” Mateus 24.9-28

Início da Grande Tribulação

- Ódio das nações;
- Escândalos;
- Traição;
- Ódio;
- Falsos Profetas;
- Transgressão da lei (anomia);
- Amor se esfriará;
- O Evangelho será anunciado por todo o mundo.

A Grande tribulação propriamente dita

- Abominável Desolação;
- Fuga para os montes;
- Grande Tribulação.

3. “A Vinda do Filho do Homem” Mateus 24.29-44

- Logo em seguida a tribulação daqueles dias v.29.
- O Sol escurecerá
- Yeshua vem ao som de Shofar;
- Lamentação dos povos;
- O Recolhimento do Escolhidos (ARREBATAMENTO) v.40.

Os Escolhidos Passam Pela Grande Tribulação

O texto de Mateus é claríssimo, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome”. (v.9). Para quem Yeshua estaria dando esta advertência? Para os que não querem nenhum compromisso com o nome Dele? Com os incrédulos que perderam o arrebatamento, como afirma o pré-tribulacionismo? Não! Estes que são os perseguidos, são testemunhas do Reino de D’us, é uma Igreja perseguida, porém vitoriosa, que testemunha o nome do Messias, mesmo sendo oprimida e martirizada pelo mundo. Uma igreja que mesmo em um mundo onde o amor se esfriou por causa da transgressão da Torá (iniqüidade é anomia em grego, quer dizer transgressão da lei) v.12. Anuncia o Evangelho do Reino à toda a terra, testemunhando a todas nações, para assistir o fim (v.14). Por isto Yeshua disse: “Aquele que perseverar até o fim será salvo” (v.13).

Os Salvos na Grande Tribulação

A orientação do Messias é claríssima: “Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no shabat; porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido e nem haverá jamais” (v.20). Esta tribulação, foi prevista pelos profetas e também foi preservada sua expectativa em escritos judaicos antigos, como em Qunram: “Tribulação para todo o povo redimido por D’us. De todas as tribulações, nenhuma será como esta, desde sua aceleração até que se complete a redenção eterna” (1 QM [t 1Q33]) – Regra de Guerra Col I.v.12.

Ora, o que temos aqui, é que a expectativa judaica sempre foi, tanto nos profetas como nos escritos de Qunram, que os remidos passariam pelas dores de parto de uma Grande Tribulação. Os ‘remidos’ passariam por ela.

O que temos que ter em mente é que a expectativa de uma Grande Tribulação não é uma teoria cristã ocidental, ou mesmo helênica. A Grande Tribulação é conhecida como as dores de Jacó, isto fazendo referência aos vários textos dos profetas que descrevem uma grande aflição que virá no Final dos Tempos sobre Israel.

Sendo assim, devemos entender que na mente judaica, nunca houve um entendimento de que alguma forma os remidos escapariam desta tribulação por um arrebatamento.

Outra questão que deve ser levada em conta. O livro de Apocalipse possui quase todo sua narrativa descrevendo este período da Grande Tribulação, e o texto de Apocalipse é claríssimo quando diz: “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo” (Apocalipse 1:3). Ora, se eu serei arrebatado, por que tenho que guardar as palavras das profecias de Apocalipse? Eles descrevem as pragas, cálices da ira, trombetas, selos, morte, sangue, fogo, saraiva, perseguição aos inscritos no Livro da Vida, etc. Se eu sou arrebatado, por que Apocalipse existe? Este é o grande problema do pré-tribulacionismo, ele exclui os crentes do cenário escatológico e exclui apocalipse como um livro para os salvos. Yeshua disse ainda: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de D’us e a fé em Yeshua” (Ap 14.12). Apocalipse é um livro para que os santos perseverem, para que tenham esperança, para não fraquejarem diante da tremenda tribulação que virá sobre as Nações no Final dos Tempos.

O Advento do Messias

Este é para mim o versículo mais claro sobre o arrebatamento depois da Grande Tribulação: “LOGO EM SEGUIDA A TRIBULAÇÃO daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento, e os poderes dos céus serão abalados, Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória. E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de Shofar (Trombeta), os quais reunirão [arrebatamento] os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt 24:30-31 – Almeida Revista e Atualizada)

O texto é claríssimo! Algumas versões traduzem o termo ‘tribulação’ deste versículo por ‘aflição’, porém a palavra original tlipsis é precisa. Traduzida literalmente por tribulação, é a expressão TSAR (Tribulação) que encontramos no hebraico do Tanach (AT). A versão de Marcos é mais clara ainda quando diz: “Mas, naqueles dias, após a referida tribulação...” (Mc 13.24 – ARA).

Veja! O ADVENTO SÓ ACONTECE DEPOIS DA GRANDE TRIBULAÇÃO! Os salvos testemunharão este advento da terra, e não do céu, vindo das “bodas celestiais” depois de 7 anos de Grande Tribulação como ensina o dispensacionalismo inglês de J.N. Darby (1830). Não! Yeshua foi claro ‘logo após a tribulação daqueles dias virá no céu o Filho do Homem’. Não há espaço para o argumento moderno da cristandade em dizer que a Segunda Vinda do Messias é em duas fases. A Segunda vinda é única e absoluta, não existe espaço para ‘fases’ neste advento, Yeshua disse que será em um abrir e fechar de olhos!

Interessante, que estas palavras de Yeshua estão preservadas em uma versão similar no livro de oração judaica (Sidur) nas orações da Amidá, em específico na Benção Kibuts Galuiot (Reunião da Diáspora) que diz: “Faze soar o Shofar para a nossa liberdade e ergue o estandarte para juntar os nossos dispersos, e reúne-nos logo, a todos, dos quatro cantos do mundo para nossa terra”. O advento do Messias Yeshua (Jesus) restaurará o povo judeu da diáspora, os dispersos serão reunidos, os gentios que foram enxertados neste povo farão parte desta restauração e todos testemunharemos a vinda em Glória do Nosso Messias.

Está claro que o Advento acontece após a tribulação. E o arrebatamento e ressurreição dos mortos acontecem nesta ocasião? Sim! Vejamos o que o apóstolo disse sobre isto: “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta (SHOFAR) de D’us, descerá dos céus, e os mortos no Messias ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor” (I Ts. 4:16 e 17). O Apóstolo dos Gentios, Paulo, está descrevendo o mesmo advento, inclusive faz referência ao Shofar.

A questão é que teremos um encontro com o Senhor nos ‘ares’. Não para ficarmos com ele nas bodas nestes ares. Mas, para estarmos com o Senhor no Reino Milenar que é sobre a terra e finalmente nos Novos Céus e Nova Terra (Ap 20 e 21).

Este testemunho do advento de Yeshua não será restrito aos judeus? Não! A teologia que afirma que os judeus são afligidos na Grande Tribulação, enquanto os gentios salvos desfrutam das Bodas nos ares é anti-semita.

Os salvos testemunharão o advento sim! Paulo inclusive faz referência a isto aos gentios de Tessalônica quando fala deste advento no texto já citado.



Textos Usados pelo Pré-tribulacionismo

“Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra” (Ap 3:10).

Este texto é largamente usado pelos que acreditam no arrebatamento antes da Grande Tribulação, afirmando que a ‘provação’ seria a Grande Tribulação.

Esta é uma interpretação muito limitada e desrespeita o contexto histórico das Escrituras. Este texto foi dirigido a Igreja de Filadélfia que foi uma comunidade de crentes histórica, que existia na Região de Filadélfia no Leste da Ásia Menor (Turquia Européia atualmente). A profecia é uma profecia histórica e não escatológica, pois o texto tem aplicação primária sobre a Igreja de Filadélfia que simplesmente não existe mais. Claro que isto não impede a aplicação do texto para a Igreja da Modernidade. Porém, aplicação não tem autoridade hermenêutica, pois a hermenêutica respeita acima de tudo a historicidade do texto. Aflição contra crentes no mundo antigo sempre existiu. O texto provavelmente estava fazendo referência as terríveis perseguições romanas contra os primeiros crentes na Ásia. Aplicar este texto a Igreja moderna, sem levar em conta os fundamentos históricos do texto é ignorar os fatos. O texto não se aplica a Igreja escapando da Grande Tribulação e tenho certeza que João não tinha isto em mente quando escreveu Apocalipse.

“... e para guardardes dos céus o seu Filho, a quem ele ressuscitou dentre os mortos, Yeshua, que nos livra da ira vindoura” (I Ts 1:10).

Este texto diz o que diz, os salvos serão salvos da Ira Vindoura! Sem dúvida, porém isto não significa que seremos arrebatados dela. O livramento ocorre na Grande Tribulação. Temos que ter em mente que existem dois tipos de aflições na tribulação. Juízo de D’us sobre as nações pagãs não salvas: pragas, terremotos, doenças, saraiva, etc. E perseguição aos crentes por parte do Anticristo ou Antimessias: perseguição, morte, opressão, etc.. Os crentes não receberão nenhum tipo de juízo de D’us, seremos livres da Ira Vindoura! Porém, seremos perseguidos pelo mundo, Yeshua disse isto em Mateus 24 e vemos isto também em todo o livro de apocalipse. “Foi lhe dado também que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação...” (Ap 13.70). Porém, constantemente vemos em Apocalipse, as pragas vindo sobre ‘os que não tiveram seus nomes escritos no livro da vida do cordeiro’. Tudo muito lógico. Este entendimento aplica-se também aos textos de Romanos 5:9 e I Ts 5:9.

O estranho é que a escatologia pré-tribulacionista afirma que não haverá mais a Noiva do Messias a Igreja na Grande Tribulação pois estará arrebatada durante ela. Porém, isto é estranho, porque João tem uma visão de salvos que vieram da Grande Tribulação e tiveram suas vestes lavadas pelo sangue do cordeiro. Ora, não são os remidos parte integrante do Corpo de Cristo? Então se há salvação na Grande Tribulação, há Igreja.

Conclusão: A teoria pré-tribulacionista é um ensinamento muito novo, foi cunhado em 1830 por Darby e teve como seus principais divulgadores homens como: Schofield, Charles Rariye, D. Pentecost, Stanley Horton, etc. Ora, antes deste ano nunca houve a expectativa na Igreja de ‘escapar da tribulação’. Citarei um texto de um renomado teólogo Batista: “A distinção cronológica entre o arrebatamento e a segunda vinda de Cristo é uma doutrina recente, que veio à cena apenas a cem anos passados. Portanto, pode tratar-se de uma criação moderna, que dá à Igreja de fé fácil um meio de escape para não entrar na prometida Grande Tribulação... Limitar a tribulação somente à preparação da nação de Israel para a restauração, e não encarar a tribulação como medida que purificará a própria Igreja, como se fosse uma espécie de medida preparatória da Noiva para a vinda do Noivo, é fazer como que os capítulos quinto e décimo nono, do livro de Apocalipse, não tenham qualquer aplicação direta à Igreja Cristã, ao passo que esse livro tem como seu propósito específico advertir e sustentar a Igreja em meio a tribulação; e isso tanto no período da Igreja primitiva, que sofria tribulações e perseguições, como prefiguração do que acontecerá futuramente, como também profeticamente, para ajudar a Igreja Cristã que existir quando ocorrer a Grande Tribulação”. (J.M. Bentes e Russel Champlim Phd. – Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia – Verbete Parousia).

É incrível a precisão das palavras deste pastor, aplica-se perfeitamente a tese apresentada.

Encerro este artigo com a visão de João em Apocalipse: “Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas.... Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram? Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: SÃO ESTES OS QUE VÊM DA GRANDE TRIBULAÇÃO, LAVARAM SUAS VESTIDURAS E AS ALVEJARAM NO SANGUE DO CORDEIRO....” (Apocalipse 7:9,13 e 14).

Por Igor Miguel

21 comentários:

  1. ola q bom q naum so o unico
    ao analisar as escrituras
    perceber q o Senhor Jesus
    nos alerta para passar pela
    tribulaçao
    a maioria dos nossos irmaos naum penssa assim
    infelismente preferem acreditar no alivio
    q praticamente inventaram a 100 anos atras
    do q acreditar no Senhor Jesus falou
    graças dou ao Senhor por ter ainda
    alguns remanecentes q disem somente a Sagradas Escrituras do SEnhor DEus seja louvado AMEM!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Seria muito fácil se o Messias viesse hoje e as pessoas fossem arrebatadas em meio a essa vida confortável,templos luxuosos,pastores ricaços vivendo em meio à regalias criadas por eles mesmos.

    Seria muito fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yoel,

      Em conformidade com esta idéia segue Salmo 73, Asaf se indigna com a riqueza e vida do boa dos injustos mas por fim é confortado.

      Shalom

      Excluir
  3. Amigo Metushelach,

    Li atentamente e o parabenizo pelo artigo bem focado e embasado.

    Restaram-me algumas dúvidas que pontuarei a seguir que não consegui achar comprovações bíblicas e peço sua ajuda para me indicar as passagens onde afirmam essas situações para eu poder ajudar outros do meu convívio:

    1- Onde fala com clareza que estaremos apos o ajuntamento nos "ares" na terra durante o milênio?

    2- No milênio seremos livres de tentações e tragédias ou tudo será como é porém sem satanás?

    3- O que acontecerá exatamente após o milênio? A terra será destruída com fogo e enxofre e os salvos estarão aqui durante tudo isso?

    4- E o inferno existe, vai existir ou é uma forma de linguagem simbólica? O tormento eterno será eterno mesmo ou terá fim?

    5- Os ímpios entram quando nesse quadro final, digo, na grande tribulação, no milênio e após o milênio?

    6- O que acontecerá com os judeus ortodoxos que negaram Cristo pro gerações porém guardaram a torah, serão perdoados ou serão considerados ímpios?

    Deus continue a abençoá-lo sempre.

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zergon,

      Desde já peço desculpa pela demora e por seguir somente explanação de um ponto.

      Antes de começar com eu sempre digo, escatologia eu não bato o martelo em nada, sendo assim o que eu disser é apenas tendências humanas de minhas particularidades e não algo revelado e testificado.

      1 -Não existe texto claro e pontual que diga com todas as letras que estaremos na terra após o arrebatamento e nem que estaremos nos céus, mas temos o contexto geral bíblico e a correlação interpretativa que podem elucidar tal dúvida.

      Primeiro analisaremos o texto que suscita algumas más interpretações que é de 1 Tessalonicenses 4:16-17 “Porque o Senhor mesmo com um comando com voz de Arcanjo e com Shofar de D-us, descerá a partir do céu e os mortos no Messias levantarão primeiro. Então nós, os que permanecemos vivos, juntamente com eles seremos levados abruptamente em direção às nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim sempre com o Senhor estarmos.”

      Primeiro termo a se analisar é οὐρανοῦ “ouranou” que é vertido por céu, local de onde o Senhor descerá, tal termo segundo vários dicionários de Léxicos Grego inclusive o venerado pelos protestantes o STRONG diz que tal céu aqui pode ser tanto o atmosférico, o espacial como o Espiritual, sendo assim o Senhor nesta passagem pode tanto estar descendo do céu visível como do invisível sem problemas de interpretação algum, mas o que nos importa no momento é que ele está καταβήσεται “katabesetai”, descendo, vindo de cima para baixo.

      O Segundo termo é νεφέλαις “nephelais” vertido por nuvens, que é o local para onde as pessoas são levadas abruptamente para se reunirem tantos os vivos como os mortos ressurretos, vejamos que tal termo quer dizer apenas formação gasosa na atmosfera sendo assim um local já dentro dos limites de nosso Planeta e não no Paraíso ou Céu Espiritual.
      Terceiro termo é ἀέρα “aera” vertido por ares, mostrando novamente que o encontro com o Senhor será em um lugar físico que possui ar, não no espaço que tem vácuo e não ar e nem em um lugar espiritual onde a descrição de um aspecto físico como ar seria totalmente desnecessário.

      Excluir
    2. Outro ponto é o fim do verso 17 que relata que estaremos para sempre com o Senhor, e isso é corroborado pelo entendimento do texto de João 14:3 “E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também.”, aqui temos que fazer a pergunta onde Yeshua estará após a reunião com os ressurretos nos ares? Certamente que ele não ficará flutuando em meio as nuvens e nem voltará para o Reino Espiritual dos Céus, mas temos algumas passagens que relatam o seu destino após tal ajuntamento, segundo o texto Zacarias14.4 que diz “Naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade, para o sul.” juntamente com a passagem de Atos dos Apóstolos 1.10-11 “E, estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Yeshua subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles, 11 e lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Esse Yeshua que dentre vós foi levado ao céu virá do modo como o vistes subir.” vemos portanto que Yeshua descerá ao Monte das Oliveiras, e se conforme João 14:3 e 1 Tess. 4:17b estaremos onde Ele estiver eternamente, certamente estaremos com ele pisando o Monte das Oliveiras também, e ai teremos o Reino de D-us implantado na terra por mil anos
      Vemos que no perto do inicio destes mil anos é que acontece a ressurreição dos mortos, veja que Apocalipse 20:5-6 fala que a ressurreição daqueles que morreram durante o governo da Besta e não receberam a sua marca na mão e na testa, é chamada de a Primeira Ressurreição. (Pare!!! - Pense!!!) Se a ressurreição dos que passaram pela Grande Tribulação que é o governo da Besta é chamada de Primeira Ressurreição quer dizer que não houve outra anteriormente, sendo assim não tem sentido contextual a historinha de que a Igreja é arrebatada na fase invisível da vinda do Messias e fica boiando sete anos sei lá onde, enquanto a grande tribulação come solta sobre os judeus que ficaram, portanto tal idéia de rapto secreto da Igreja não há como conciliar 1 Tess. 4:16-17 que fala que os mortos antecedem os vivos na transformação após serem ressurretos para que todos sejam arrebatados e ajuntados nas nuvens sendo que a ressurreição de Ap. 20:5-6 que é após o Governo da Besta é chamada de A Primeira Ressurreição.
      Resumo: Todos seja Igreja e Judeu, salvo ou não passarão pelo governo da Besta e portanto passarão pelos juízos divinos sobre a Terra e após isso Yeshua volta como um relâmpago que sai do oriente e se mostra até o ocidente (Mt.24:27), num Cavalo Branco para Guerrear (Ap. 19:11) e no caminho de sua vinda em meio as nuvens onde todos O verão conforme Mateus 24:30 e Ap. 1:7, Ele ordenará com Voz de Arcanjo como que com o Grande Som de Trombeta (Shofar) que o seus Santos Anjos ajuntem dos quatro cantos dos ventos de uma a outra extremidade dos céus aos escolhidos (Mt. 24:31), ou seja os salvos, primeiramente os mortos ressurretos e transformados e depois os que estiverem vivos serão num piscar de olhos ao som do Shofar transformados em seres incorruptíveis e imortais conforme 1 Coríntios 15:42-54.

      Espero ter ajudado por enquanto.

      Shalom.

      Excluir
  4. Outra dúvida:

    No artigo diz: "A questão é que teremos um encontro com o Senhor nos ‘ares’. Não para ficarmos com ele nas bodas nestes ares. Mas, para estarmos com o Senhor no Reino Milenar que é sobre a terra e finalmente nos Novos Céus e Nova Terra (Ap 20 e 21)."

    A pergunta é como entender o milenio na terra a luz de Ap 21:10 que afirma que a Santa Jerusalem "DESCIA DO CÉU" após o milenio Ap 20:7, o que parece para mim esta mostrando o reino milenar nos ARES e nao na terra. Para mim ficou muito complexo ver o milenio na terra, existe alguma passagem específica que colabore com essa visao do milenio terrestre?

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A graça de Deus, o amor de Jesus e a comunhão do Espírito Santo, prezado Zergon Geisler. Como eu sou um crente em Jesus do ministério de John Nelson Darby e portanto um dos chamados Dispensacionalistas, resumidamente explicarei ao nobre irmão um pouco sobre o tema. A palavra do Senhor nos diz ser bem aventurados e santos são aqueles que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos (Ap. 20: 6). Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição (20: 5), sendo os não salvos, que não ressuscitarão neste mesmo dia. Pelos escritos nas escrituras sobre o servo vigilante que não sabendo o dia da volta de seu Senhor mas estava atento foi tido como bem aventurado ao passo que o não vigilante foi lançado nas trevas (Mt. 24: 45 a 51) bem como as 5 virgens prudentes, entraram para o noivo e as 5 néscias ficaram para fora das bodas do noivo (Mt. 25: 1 a 13). Observamos que nos é mostrado as escrituras, que a segunda vinda de Jesus, será como dois adventos: 1º Num abrir e piscar de olhos (1ª Co. 15: 50 a 53 a 58) e 2ª vinda em que todos o verão até aqueles que o traspassaram (Mt. 24: 29 a 31). Paulo nos pede para vigiarmos e não durmirmos como os demais para não sermos pegos de surpresa naquele dia (1ª Ts. 5: 1 a 10 e Ap. 16: 15). Se aprendemos que o reino de Satanás será de um tempo, dois tempos e metade de um tempo (Dn. 7: 25 e 12: 7) sendo 3 anos e meio, e que o Senhor Jesus nos guardará do Maligno (2ª Ts. 3: 3) e nos livrará da ira vindoura (1ª Ts. 1: 10). É nos mostrado que Ele virá arrebatar a sua igreja (sua noiva) para si, trazendo para a sua companhia os que dormem, os quais ressuscitarão primeiros e subindo juntamente aos áres para o encontro do Senhor, dai em diante, permanecendo para sempre com o Senhor (1ª Ts. 4: 13 a 17). Eu particularmente entendo que haverá as bodas do cordeiro acima das nuvens como o primeiro céu, pois somente os limpos de coração verão ao Senhor. Que todos os que creem Nele serão salvos. Terão vida eterna mas uns terão mais privilégios que outros. Mas que todos os que Nele creem estarão diante de seu trono para serem julgados pelas boas obras (Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo (2ª Co. 5: 10), não para condenação mas para sermos galardoados, uns mais, outros menos. Fala-nos das bodas do cordeiro. Fala-nos do tribunal de Cristo. Fala-nos do encontro da noiva com o noivo. Fala-nos do reino do anti Cristo que com promessa de paz fez aliança com Israel que aceitou no início o seu falso profeta e descobriram que foram enganados (2ª Ts. 2: 3 a 12, Daniel 11 e 12 e Ap. 8 a 18). Lemos que após a tribulação o Senhor Jesus voltará com os seus e todos o olho o verá (Mt. 25:31 a 46 e Zc. 14: 1 a 5 e a 15). Ele o Senhor Messias Jesus Ieshû'ach já reina invisível (Lc. 17: 20 e 21) e reinará por mais mil anos aqui na terra de forma visível, regendo as nações com varas de ferro e bem aventurados aqueles da primeira ressurreição que reinaram com Ele pelos mil anos, em que apenas dentro de sua cidade de nome A nova Jerusalém tem a sua luz. Deus o abençoe e ate mais

      Excluir
  5. Amigo Metushelach,

    Não tem doque se desculpar, eu espero com paciencia pois sei que sempre vem uma resposta elucidativa.

    Agradeço por começar a me fazer entender esses pontos muitos controversos e difícieis de se entender com sem uma base mais profunda e conhecimento judaico, pois a teoria de John Nelson Darby bagunçou e muito o entendimento e piorado pela teoria historicista adotada pelos adventistas.

    Comecei a entender mais claramente seu ponto de vista e já esta fazendo efeito no meu entendimento pela lógica apurada lexica sobre o mesmo.

    Estarei aguardando sua analise dos outros pontos e desde já fica meu agradecimento pela consideração em me ajudar mais uma vez.

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
  6. Shalom Amigo Metushelach,

    Estava meditando sobre o assunto e surgiu mais um versiculo curioso, que seria Filipensens 3:20, que afirma que a cidade está nos céus. Seria essa cidade durante o milênio ou após o mesmo, temos como comprovar biblicamente sobre qual época escatológica se refere essa passagem?

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zergon,
      Vamos falar do texto de Filipenses 3:20.

      Primeira segue o texto em grego:
      Filipenses 3:20: ημων γαρ το πολιτευμα εν ουρανοις υπαρχει εξ ου και σωτηρα απεκδεχομεθα κυριον ιησουν χριστον
      Segue a transliteração:
      Filipenses 3:20: ēmōn gar to politeuma en ouranois uparchei ex ou kai sōtēra apekdechometha kurion iēsoun christon

      Voltado a sua consideração, afirmo que o texto não tem aplicação escatológica, nem ao consideramos a forma errônea nas versões em português nem no entendimento correto do texto em grego.

      O problema de tradução aqui é o de verter o termo πολιτευμα “politeuma” por cidade ou pátria, sendo que uma das traduções que mas se aproxima do que o texto quer dizer é o termo cidadania, mas mesmo com este termo temos que ter cuidado na interpretação, pois cidadania tem significância tanto material como subjetiva, e é nesta segunda significância que temos que focar para interpretar o texto.
      A cidadania de alguém subjetivamente a liga a um conjunto de regras estabelecidos num determinado território da qual este alguém é cidadão, mesmo que ele esteja em outro território o seu modo de ser refletirá a sua cidadania, tanto que tal termo grego empregado aqui deriva do termo πολιτεύομαι “politeuomai” que tem o significado de conduta de um cidadão, ou modo de ser de alguém que pertence a um território delimitado por regras.

      Em alguns textos de João o próprio Yeshua se refere aos que crêem nele como Mashiach, como não sendo deste mundo, mas sim cidadãos do Reino dos Céus, conforme podemos ver em João 15.19 “Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia.” 17.14 - 16 “Eu lhes tenho dado a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como também eu não sou. Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou.” 18.36 Respondeu Yeshua: O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos da Judéia; mas agora o meu reino não é daqui.

      Em resumo temos que ver que o verso 20 é uma continuação adversativa do verso 19, isto é, a idéia do verso 20 vai de encontro e se contrapõe ao que é discorrido no verso 19, para tanto vejamos a passagem:
      Verso 19 “O destino deles (dos inimigos da cruz) é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas.”
      Verso 20 Para nós de fato existe uma cidadania que está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Yeshua HaMashiach,”

      Fica claro nesta seqüência que a contraposição ao verso 19 de se viver preocupado com coisas terrenas, se dá verso 20 no modo de vida de um cidadão do Reino dos Céus,
      Podemos recorrer a vários texto para entender isso, mas vou listar apenas alguns que deixam claro a cidadania celeste daqueles que foram alcançados pelo testemunho de Yeshua, vejamos então Efésios 2:6 “e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais no Mashiach Yeshua.” ; O interessante de notar é que o texto está no presente contínuo, e isso significa que no momento que reconhecemos o Senhorio de Yeshua e nos arrependemos de nosso pecados já estamos assentados nos lugares celestiais da dimensão Eterna.
      Efésios 2.19 “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de D-us,” veja a idéia de cidadania dos santos que mostra que os salvos tem uma conduta que os liga à um Reino com regras.
      Outro texto que complementa bem a idéia do texto de Filipenses 3:20 é o de Colossenses 3:1-3” Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com o Mashiach, buscai as coisas lá do alto, onde o Mashiach vive, assentado à direita de D-us. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com o Mashiach, em D-us.”

      Espero ter ajudado a deixar mais claro o entendimento do texto.

      Excluir
  7. Amigo Metushelach,

    Esse conceito correto de cidadania da qual vc analisou, deixou claríssimo o significado, lembrando que eu estava meditando justamente sobre os pontos sobre o reino milenar e numa referencia cruzada achei esse texto que parecia levar o reino milenar para o céu, como afirmam algumas teorias, como dispensacionalistas e adventistas.

    Obrigado por esse esclarecimento desse versiculo.

    Fique na Graça de Jesus, Shalom.

    ResponderExcluir
  8. Oie, paz. Vi um pastor dizer que esse texto: “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra” (Ap 3:10).esse guardarei é uma palavra em grego que significa: guardar em meio, não tirar mas estar guardando ou seja guardar em meio a tribulação. Eu sou de uma igreja pentecostal mas também creio que o arrebatamento é só após a grande tribulação :) o Eterno te abençoe em nome de Jesus. Paz.

    ResponderExcluir
  9. A paz de Jesus a todos aqui. À prezada irmã Suéllen Bagesteiro, escreveu que ouviu de um pastor sobre o significado da palavra guardarei, estar no meio da tribulação, e depois disse acreditar ser o arrebatamento no final da tribulação??? Observe bem prezada irmã, que as escrituras nos fala do reino eterno do nosso Messias (Dn. 2: 35 e 44, 7: 14), nos falando também de sua morte (Is. 53), de sua ressurreição (Jó 19: 25) e de seu reino milenar (mil anos) (Ap. 20: 2, 3, 4, 5, 6 e o 7 que nos diz: Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e arrastará o povo com Gog e Magogue para a guerra contra Jesus e o seu povo da cidade santa, caindo fogo do céu e os consumindo (20: 7 a 10). Devo dizer a irmã que as escrituras nos diz ser a tribulação terrivelmente angustiante, severa e significativa, pois nos diz ai daqueles que ali estiverem. Será o domínio de Satánas incorporado numa autoridade com a marca da besta para que não compre e nem venda que não a possuir em sua mão ou em sua testa. Um governo mundial ditatorial por um tempo, dois tempos e metade de um tempo, etc e que saberemos quem será este anti Cristo mas seremos livres dele (2ª Ts. 2: 3 e 4) nos pedindo para não dormirmos para estarmos acordados para não sermos pegos de surpresa (1ª Ts. 5: 1 a 10), nos deixando claro que não podemos estar ali no final da tribulação, mas recolhidos no meio dela, como Noé foi tirado do grande dilúvio que veio sobre a terra. Que o justo Ló foi tirado de Sodoma antes do fogo e enxofre sobre a mesma. Que Deus a abençoe bem como aos seus e até mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apocalipse 20:5-6 fala que a ressurreição daqueles que morreram durante o governo da Besta e não receberam a sua marca na mão e na testa, é chamada de a Primeira Ressurreição. (Pare!!! - Pense!!!) Se a ressurreição dos que passaram pela Grande Tribulação que é o governo da Besta é chamada de Primeira Ressurreição quer dizer que não houve outra anteriormente, sendo assim não tem sentido contextual a historinha de que a Igreja é arrebatada na fase invisível da vinda do Messias e fica "boiando 3,5 ou 7 anos sei lá onde", enquanto a grande tribulação come solta sobre os judeus que ficaram, portanto tal idéia de rapto secreto da Igreja não há como conciliar 1 Tess. 4:16-17 que fala que os mortos antecedem os vivos na transformação após serem ressurretos para que todos sejam arrebatados e ajuntados nas nuvens sendo que a ressurreição de Ap. 20:5-6 que é após o Governo da Besta é chamada de A Primeira Ressurreição.
      Resumo: Todos seja Igreja e Judeu, salvo ou não passarão pelo governo da Besta e portanto passarão pelos juízos divinos sobre a Terra e após isso Yeshua volta como um relâmpago que sai do oriente e se mostra até o ocidente (Mt.24:27), num Cavalo Branco para Guerrear (Ap. 19:11) e no caminho de sua vinda em meio as nuvens onde todos O verão conforme Mateus 24:30 e Ap. 1:7, Ele ordenará com Voz de Arcanjo como que com o Grande Som de Trombeta (Shofar) que o seus Santos Anjos ajuntem dos quatro cantos dos ventos de uma a outra extremidade dos céus aos escolhidos (Mt. 24:31), ou seja os salvos, primeiramente os mortos ressurretos e transformados e depois os que estiverem vivos serão num piscar de olhos ao som do Shofar transformados em seres incorruptíveis e imortais conforme 1 Coríntios 15:42-54.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Concordo Metushelach, porém o que relato poderia se encaixar neste fato?
    Esta tribulação possui como base as pragas relatadas por Mosheh na Torah. Visto que, os Israelitas foram mantidos no Egito em governo de Faraó (mundo sobre governo da Besta) “com a permissão e controle de D-us, até um determinado período”, para exaltação do Poder e Conhecimento do D-us de um povo (Yisra’el) que a partir deste evento ganha uma identidade própria. E esta tribulação ocorria sobre todos os povos que habitavam no Egito (simbolizando os povos que habitam hoje no mundo); contudo o povo de D-us não era afligido diretamente, nisto o Eterno mostrava a distinção entre os que servem e os que não servem a D-us. Como também no mesmo Egito (mundo) na época de Yossef houve 7 anos de fartura (graça pela fé) e 7 anos de fome (tribulação), caindo sobre todos. Tal final ocorre com a passagem do povo escolhido das trevas para a luz, da morte para a vida, através do Cordeiro de Pêssach rumo a Canaã; mas no fim dos tempos Ye'shua virá não mais como o cordeiro, mas como relatado por ti (como Melech) para reunir o seu povo e reinar tendo como capital Ye’rushalayim...etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto ao povo ser guardado em meio a tribulação não há dúvida, a questão é ficar boiando no ar por um periodo isso que não se encaixa em nada, o que existe é uma reunião, ajuntamento, formação de pelotão pra dai sim pisaram no monte das Oliveiras.

      Excluir
  12. A paz Pastor Metushelach, você poderia me esclarecer uma dúvida referente às bodas do cordeiro e ao tribunal das obras?

    Isso acontecerá dentro do tempo Kayros no momento que a igreja é arrebatada depois da grande tribulação? Ou quando é que ocorrem estes eventos?

    Shalom Adonai

    ResponderExcluir
  13. Yeshua é o profeta descrito em Deuteronômio 13: 1-3 ?

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, Comente porfavooooooooooooor