שמע ישראל י-ה-ו-ה אלקינו י-ה-ו-ה אחד
Shemá Yisrael Adonai Elohêinu Adonai Echad

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Alma Penada ou Alma Vivente?




Um rabino “antigo” porém “moderno“, certa data fez uma analogia acerca da constituição do Homem, relacionando-o a um Computador e seu funcionamento.

Ele relacionou a parte material do homem, o seu corpo, com o Hardware, relacionou aquilo que dá o start no homem, o fôlego de vida, com a eletricidade e a BIOS, e para a junção funcional da parte material com a força motriz e informações básicas de inicialização, o que seja a Alma Vivente, relacionou com os Softwares Operacionais.

Assim como o Hardware apenas tem utilidade funcional quando tem a eletricidade para ligá-lo e a BIOS para fornecer a informações primarias de inicialização do sistema operacional assim é o Homem, pois se este não tivesse o “fôlego de vida”, o espírito vindo de D-us para animá-lo e a consciência instintiva para motivá-lo a preservar a sua existência, o homem não passaria de um corpo inerte, um boneco de barro, e a ativação que o espírito dá ao corpo o fazendo ser funcional, processando, comunicando, memorizando, interagindo com o meio se dá o nome de alma vivente, o sistema operacional humano.

E na ocasião da morte o principio é o mesmo, pois um hardware sem energia, não tem a BIOS ativa para comandar o funcionamento do Software, sendo assim o Software não fica numa dimensão virtual mas sim fica inativo, assim sendo o Homem quando perde seu “fôlego de vida”,isto é, o seu espírito, ele deixa de ser operacional, fica inativo deixando de ser Alma Vivente.

Cuidado!!! Se você ver alguma alma penada por ai, pode ser coisa de Hacker.
Agora analisaremos alguns textos:

E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. (Genesis / Bereshit 1:7)
Pó da Terra (corpo) + fôlego de vida (espírito) = Alma vivente.

O homem não tem uma alma. O homem é uma alma vivente!

As escrituras sagradas dizem que o D-us Criador dos céus e da terra soprou um espírito no homem que havia criado e formado do pó da terra e este se tornou alma vivente.

O que é corpo?
Corpo é a matéria pelo qual o homem é formado.
O que é espírito?
Em hebraico a palavra para espírito é Ruach, que significa fôlego de vida ou vento. Já segundo a língua grega espírito é pneuma, que literalmente significa vento.
A bíblia diz que D-us soprou (vento ou fôlego de vida) na imagem de barro que havia criado e este se tornou alma vivente.
O que é alma?
Alma é a ajuntamento de fôlego de vida com corpo, ou seja, um ser completo. O homem foi formado através de dois elementos: Matéria + Espírito = Alma.
A alma é a vida, é o elo entre o espírito e o corpo. Está ligada diretamente a tudo aquilo que envolve a razão e os sentimentos humanos (inteligência, emoções, desejos, pensamentos...). A bíblia diz que quando uma pessoa morre o corpo volta a pó da terra pelo o qual foi formado, o espírito dela volta à D-us que o deu e a alma (vida) logicamente deixa de existir.

O estado do homem na morte
Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem (mortos), para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, assim também aos que dormem, Deus, mediante Jesus, os tornará a trazer juntamente com ele. Dizemos-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que já dormem. Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. (1 Ts 4:13-16)

A origem da imortalidade da alma no paraíso não é bíblica, mas pagã. Essa doutrina nasceu na Grécia e influenciou o cristianismo através do pensamento platônico,Platão menciona a imortalidade da alma em escritos como: Phaedrus, Apologia, Phaedo, A República, Leis e a Sétima Carta, mas este pensamento se perpetrou na idade Média através da Obra "A Divina Comédia" de Dante Alighieri.
Segundo a bíblia a morte é tratada como um estado de “sono”, ou seja, os mortos estão em um nível de inconsciência aguardando pelo o dia da ressurreição. As escrituras não sustentam a doutrina popular de que os mortos podem se comunicar com os vivos, pelo o contrário, enfaticamente refuta este ensinamento associando o verbo dormir como símbolo da morte (Dt 31:16; 2 Sm 7:12; I Rs 11:43; Jó 14:12; Dn 12:2; Jo 11:11, 12; I Co 15:51; I Ts 4:13-16).

Adaptado, acrescido e enfeitado por Metushelach Ben Levy
de Texto de Giliardi Rodrigues no Blog Teopratica

29 comentários:

  1. Metushelach,

    Espero que esteja tudo bem com você e sua família, pois sentimos sua ausência aqui no blog.

    Gostaria de entender um questão que ouvi um líder Judeus falando, que antes e após a transfiguração Elias e Moisés nunca estiveram no céu ou paraíso pois foi reservado a Jesus as primícias e se Jesus ainda não havia ido ao Pai Eterno, Elias e Moisés estariam mortos, dormindo o sono eterno.

    Faz algum sentido isso?

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
  2. Zergon,

    Agradeço a preocupação e o carinho, aqui em casa está tudo se encaminhado depois de alguns sustos, erros médicos e etc, mas como sempre nós colocamos a confiança em Nosso Pai Eterno e tudo tem cooperado para o bem de nossa família.

    E quanto a afirmação de Elyahu (Elías) e Moshe (Moisés) nunca terem estado no céu, isso é verdade, pois nos baseamos num entendimento que o homem morre e vai para sepultura esperando a Ressurreição, e esta é a característica de todo ser humano, os únicos que segundo um entendimento mais literal de Apocalipse que poderiam receber um tratamento diferenciado seriam os Patriarcas e os Apóstolos, que podem ser figurados com os anciões de Apocalipse que se assentam em tronos.
    Mas voltando para a Primícia de Yeshua, usamos o verso de João 3:13 que diz: "Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem", partindo disso vemos que ninguém que já pisou nesta terra poderia estar nos Céus a não céu aquele que de lá desceu, cfe corrobora o texto de Efésios 4:10.
    Fora que tal pressuposto coloca por terra a idéia cristã do arrebatamento de Enoque e de Elias para morarem no céu idéias esta que contraria o que podemos ver sintetizada na compreensão judaica de Shaul (Paulo) em I Coríntios 15:50 que diz: Isto afirmo, irmãos, que a carne e o sangue não podem herdar o reino de D-us, nem a corrupção herdar a incorrupção."
    Na transfiguração o que aconteceu foi apenas uma visão conforme verso de Mateus 17:9 onde Yeshua mesmo fala: " E, descendo eles do monte, ordenou-lhes Yeshua: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do Homem ressuscite dentre os mortos."
    Tal visão ocorreu como uma antecipação da manifestação plena do Reino dos Céus na Terra, para que os discípulos pudessem saber da esperança futura que eles mais tarde propagariam pelo mundo, a saber, a vinda de forma Gloriosa de Yeshua antecipada na transfiguração do seu rosto que resplandecia como o sol, e as suas vestes brancas como a luz, e a Ressurreição dos Mortos como visão antecipada na presença dos representante da Lei, Moisés e no representante dos Profetas, Elias.
    Em resumo o que foi visto no monte foi apenas uma visão de como seria o estabelecimento do Reino dos Céus na Terra, tanto que Yeshua mesmo pediu que tal fato não fosse compartilhado até que ele fosse morte e ressuscitasse pois até então ninguém compreenderia.

    Espero ter elucidado a compreensão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (II Corintios 5:8) - Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor.DÁ UMA BASE QUE A ALMA NÃO FICA NO SONO. QUANTO A JO.3.13 É NA REALIDADE YESHUA EXPRESSANDO DE ONDE VEIO E DE PARA ONDE VAI, AÍ É CERCA DE SUA DEIDADE.
      TEMOS QUE FAZER UMA BOA EXEGESE BÍBLICA POIS YESHUA FOI VISTO SUBINDO AOS CÉUS EM UM CORPO,EM ATOS(Atos 1:9) - E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.
      (Atos 1:10) - E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.
      (Atos 1:11) - Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
      QUANTO AO TEXTO DE CORÍNTIOS, ALI FALA NÃO DO CORPO FÍSICO, MAS ACERCA DA NATUREZA DO VELHO ADÃO, EIS A QUESTÃO, QUERIDO, ONDE ESTARIA ENTÃO ENOQUE E ELIAS? TEM QUE PEDIR MUITA BUSCA DE DEUS PARA O TEMA.D´US TE ABENÇOE EM NOME DE YESHUA.SHALON.

      Excluir
    2. Olá amigos, tenho visitado este blog e tenho tentando aprender um pouco sobre judaísmo, mas é um tanto confuso. Dizem que devemos entender a bíblia conforme os judeus, mas eles mesmos acreditam em imortalidade da alma, tanto ortodoxos quanto movimentos messiânicos que tem surgido. Onde que o judaísmo acreditava em "sono da alma"? Qual o compêndio judaico fala sobre isso? Talmud? É confuso, pois assim entendemos que até mesmo linhas judaicas estão em babilônia. Sobre Elias e Enoque é muito complicado tentar provar que não foram para o céu, eu tento ler e enxergar isso, mas não consigo. Acho impossíve que não tenham ido para o céu quando comparo Genesis 5:21-24 com Hb 11:5,13,39,40. Muito confuso isso. Os cristãos explicam, mas parece que o judaísmo nao bate o martelo.

      Excluir
    3. Davidson, Veja os comentários abaixo, talvez te ajude sobre a questao de Elias e Enoque.

      Shalom

      Excluir
    4. Eu já li, esta informação eu já tenho, mas quero mais. Quero provas de que o judaísmo acreditava nisso.

      Excluir
  3. Zergon,

    Deixei passar batido uma melhor explicação do que seria os arrebatamentos de Chanoch (Enoque) e de Elyahu (Elias), mas vamos lá, o que ocorreu com eles nada mais foi do que o que aconteceu com Felipe em Atos 8:38-39, e com Yeshua em Mateus 4:1 e Lucas 4:1, em todos os casos o que aconteceu foi apenas um transporte miraculoso no espaço pela ação da Ruach HaKodesh (Espírito Santo).
    Sempre há um propósito em tais transportes, no caso de Chanoch (Enoque) foi para que ele não visse a morte (Hebreus 11.5), e isso não quer dizer “para não morrer” mas sim para não ser assassinado por aqueles que se ofenderam ao ouvirem suas pregações pesadas contra o pecado conforme livros apócrifos de sua autoria e corroborado pelo texto de Judas 1:14-16.
    No caso de Elyahu (Elias) também havia um propósito, era necessário que Elishayah (Eliseu) o visse ser transladado para que se cumprisse o seu ministério e se cumprisse o pedido feito a Elyahu (Elias) conforme 2 Reis 2:9-10 “ Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. Disse Eliseu: Peço-te que me toque por herança porção dobrada do teu espírito. Tornou-lhe Elias: Dura coisa pediste. Todavia, se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não me vires, não se fará.”, vemos sempre propósitos para que o tele-transporte espiritual ocorra, tanto que Elyahu (Elias) não foi para o céu e sumiu como Yeshua, e tanto que os companheiros de Eliseu o procuraram pelas montanhas, e se procuraram num determinado local é o porque viram ele indo para lá, não acha?, outra pista factual que nos mostra que Elyahu (Elias) estava ainda na Terra e bem ligado nos acontecimentos é uma carta enviada entre 5 ou 8 anos após seu translado recriminando o Rei Jeorão conforme 2 Crônicas 21:12.
    Vemos portanto que a idéia cristã de arrebatamento para o céu é mais um erro de descontextualização e cegueira histórica e bíblica.

    ResponderExcluir
  4. Metushelach,

    Muito específica e boa sua explicação, o único ponto que me gera dúvida ainda seria se eles não subiram ao céus como em João 3:13, portanto eles teriam sido ressucitados momentanteamente (transportados do sono no Sheol para forma física pois o apóstolo Pedro, que estava no ato da transfiguração queria montar 3 tendas para eles, oque subentende-se que estavam lá em corpo físico, pois espíritos não usam abrigos), e depois voltaram ao Sheol?

    E outra situação seria o fator da carta de Elias cerca de 8 anos após a transfiguração, nesse caso ele morreu quando, pois Moisés morreu, e no NT cita-se o Arcanjo Miguel brigando com o Diabo pelo corpo de Moisés?

    E para onde foram e onde estão hoje, então Moisés, Elias e Enoque? Se não para o céu como você explicou corretamente, foram para o Sheol sem sentir a morte?

    Espero não ter confundido muito as coisas.

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
  5. Zergon,

    Elias e Moisés não ressuscitaram momentaneamente, eles continuaram no pó da terra, isto é, no Sheol ou melhor traduzido na sepultura, o que apareceu no monte foi apenas uma visão do que será o Reino, onde a morte não mais existirá e os santos que morreram e foram justificados estarão pela Eternidade vivos participando deste Reino, vemos que a Eternidade não tem ontem, hoje e amanhã, mas sim é, desta maneira entendemos que nós na Eternidade já estamos assentados com o Mashiach nas regiões celestiais conforme Efésios 2:6, mas nós estamos aqui, como estamos lá? Resposta por ser a Eternidade uma dimensão atemporal, e foi esta dimensão atemporal que foi vislumbrada pelos discípulos em visão no monte da Transfiguração, a questão de Pedro ter querido erguer uma tenda, ou no hebraico “Suká”, para cada um, faz menção a festa de Sucot, ou Festa das Cabanas, Tabernáculos, onde por sete dias fazemos as refeições e compartilharmos nossas memórias com os nosso entes queridos debaixo de simples Tendas que nos remete ao tempo que nossos antepassados viviam em cabanas no deserto e a presença de D-us se fazia presente no meio deles de forma tangente, e é neste entendimento de comunhão em alegria por um fato que Pedro desejou fazer simples cabanas para cada um que se via na visão, e não que ele tenha querido abrigar seres corpóreos em cabanas.
    Quanto a data da morte de Elias, não se há registros, mas que não foi no dia do tele-transporte miraculoso, isso podemos afirmar que não foi, mas que ele morreu descendo ao sheol, isto é, a sepultura, isso ele desceu sim como está ordenado a todo o homem (Hb. 9:27).
    Quanto a contenda do corpo de Moisés, isso ocorreu e é relatado em vários lugares como no Talmude, Targum, Testemunho de Moisés etc. e dito que Sama’el o anjo da morte veio para levar Moisés corporalmente e não somente separar o seu espírito do corpo, mas Miguel interveio e foi ele o responsável por sepultar Moises em lugar desconhecido (Dt. 34:6), para que o seu corpo não fosse usado para idolatria.
    E quanto a saber onde eles estão hoje, podemos conforme contexto bíblico dizer que eles estão no sheol isto é, na sepultura aguardando o dia da ressurreição (Mt. 5:25-29), mas todos eles sentiram a morte, que é conseqüência do pecado (Rm. 6:23a) sendo assim foram para a sepultura por terem o Espírito que dá vida devolvido a D-us e seus corpos voltaram ao pó (Ec. 12:7).


    Espero ter descomplicado.

    Shalom.

    ResponderExcluir
  6. Metushelach,

    Descomplicou sim, o que complicou agora foi o fato de que eu nunca tinha olhado esses episódios pelo olhar judaico, e para mim ficou meio surreal a cena do monte da transfiguração, ou seja, objetivando sua explicação, a transfiguração na verdade foi uma ilustração do futuro (eternidade dos salvos) e Moisés e Elias não estavam ali de verdade mas apenas um "espectro fantasmagórico" digamos assim, onde o sentido real era a eternidade futura da humanidade salva e não propriamente dita a visão de Jesus e os 2 espectros de Moisés e Elias.

    Seria mais ou menos isso?

    E no caso de Enoque então seria como Elias, ele passou pelo tele-transporte, porém não se tem relatos de sua morte, embora ele tenha morrido fisicamente?

    Estou complicando mais ainda ou agora comecei a compreender melhor?

    Por favor me corrija se eu estiver equivocado.

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
  7. Metushelach,
    Estou realmente impressionado com esse modo judaico de ver o arrebatamento e a transfiguração, e o que mais me assusta é que faz muito sentido, pois a Cristo as primícias, e nunca entrou na minha cabeça essa história de que Moisés, Elias e Enoque não conheceram a morte, é meio absurdo e agora você mui apologéticamente deu uma nova roupagem e digamos um alicerce, apesar de eu ainda estar bem espantado, resumindo então oque aconteceu foi uma espécie de encenação pré-apocalíptica?

    Deus o Abençoe.

    ResponderExcluir
  8. Primeiramente informo a todos os participantes do Blog que este fim de semana participamos do 4° Curso de Inverno do Cates em Curitiba, e foi muito proveitoso reencontrarmos o pessoal do Ministério Ensinando de Sião, e reciclar alguns conhecimentos sobre o papel da Visão da Restauração, tendo o privilégio de degustar do humor gostoso do Rabino Joseph Shulam em suas palestras, outra benção ocorrida foi de termos o privilégio de nos encontrarmos com o formidável Igor Miguel que por coincidência Divina também estava em Curitiba palestrando na Pousada Betânia, e como um bom pentecostal no sentido estrito do termo, tudo foi uma benção.

    ResponderExcluir
  9. Zergon,

    Eu não diria que eram "espectros fantasmagóricos" e sim uma visão, o mesmo tipo de visão que Yossêf filho de Yaacov teve em seus sonhos na corte do Faraó, ou que os profetas tiveram como por exemplo Isaías ao ver o Trono de D-us e os anjos de seis asas, Ezequiel ver o terceiro Templo ja construido, ou Daniel contemplar o futuro do mundo com a visão dos 4 tipos de bichos, ou de ele ver o mesmo que o Apóstolo João viu em Patmos, nada mais de uma visão do Futuro de forma tangível, tanto que Daniel se prosta diante do Ancião de Dias assim como João o faz como que vislumbrando a antecipação da realidade, e da mesma forma no Monte da Transfiguração houve a antecipação do Reino de forma tangível aos discípulos.

    Quanto a Chanoch (Enoque) temos ele listado no hall dos heróis da fé em Hebreus 11:5 e no verso 13 temos a generalização de todos os heróis anteriormente cidados como tendo morrido sem terem recebido as promessas, aqui portanto temos a confirmação bíblica da morte de Chanoch (Enoque), fora o relato de Gn. 5:23 que usa a mesma expressão "e foram todos os seus dias 365 anos", assim vemos que ele teve um término de dias, mas diferente dos demais que tem os versos finalizados com a expressão "e morreu", ele tem o verso 24 explicando que não viram, não testemunharam a sua morte, sendo que ele milagrosamente foi tele-transportado para não ser assassinado e portanto morreu longe dos olhos da história.

    ResponderExcluir
  10. Samuel Alves,

    Que bom que estejamos a lhe ajudar a quebrar paradigmas, restaurando o entendimento real das Escrituras.
    Como eu disse para o Zergon, a transfiguração foi uma das formas de Yeshua dar um ensino de forma didática e impactante, sendo assim ele não encenou mas mostrou de forma tangível algo do futuro, como num tipo de antecipação do Reino em visão, e isso com certeza ajudou a ferver a esperança dos discípulos após a sua morte e ressurreição, os dando ímpeto para pregarem com veemência sobre algo que tiveram a oportunidade de ver de forma tão real no Monte da Transfiguração.
    Vejamos que o termo transfiguração já ajuda a entender do que se trata a passagem, pois Yeshua apenas antecipa a sua aparência, transfigurando-se naquilo que João relata em Apocalipse, mas logo a visão acaba e Yeshua voltar a estar só com seus discípulos e não tendo mais os aspecto reluzente e esfuziante que na visão ele aparentava.

    ResponderExcluir
  11. Metushelach,

    Agora entendi perfeitamente, foi uma visão milagrosa do futuro, mais uma teologia furada do protestantismo caiu por terra. Quanto mais conheço o judaísmo messianico mais eu fico surpreso, como nós aprendemos tantas distorções no protestantismo, parecendo as vezes que os Messianicos utilizam outra Bíblia diferente das demais, nem parece que são a mesma Bíblia. Agradeço muito por mais um selo católico-protestante arrancado.

    Fique na Graça.

    ResponderExcluir
  12. Zergon,

    A Bíblia pode ser a mesma, mas o Espírito que nos revela a intereza e inerrancia da Palavra este com certeza não é o mesmo.

    Shalom.

    ResponderExcluir
  13. Ibaral F. Vicentino3 de junho de 2012 13:49

    Nada como judeus interpretanto textos judaicos.

    Como entender no contexoto judaico o texto a abaixo:

    Luc_23:43 E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.

    Algumas religiões tentam distorcer esta passagem colocando uma vírgula depois da palavra "hoje": "Em verdade te digo hoje, estarás comigo no Paraíso", como se "hoje" estivesse relacionado ao momento em que o Senhor disse aquilo, e não ao momento em que estariam juntos no Paraíso. Essa ideia foi popularizada pelas Testemunhas de Jeová em sua tradução espúria da Bíblia, feita para adaptar o texto às suas doutrinas. Dentre outras coisas, aquela seita nega a esperança imediata de o crente estar com Cristo após a morte e nega também -- o que é mais grave -- a própria divindade de Cristo.

    Paulo identifica o "Paraíso" em sua epístola aos Coríntios como sendo o "terceiro céu".

    2Co 12:2-4 Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu... Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.

    "Terceiro céu" é a esfera que está acima da atmosfera onde voam as aves (primeiro céu ou atmosfera) e do firmamento onde estão planetas e estrelas (segundo céu, identificado na Bíblia como o "firmamento"). O terceiro céu é a esfera onde habitam os anjos e os salvos por Cristo. Acima de todos os céus, ou a "luz inacessível" é onde Deus habita, uma esfera vedada ao homem.

    Apo 6:14 E o céu (primeiro céu ou atmosfera) retirou-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares.

    Dan_12:3 Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento (segundo céu); e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.

    Efs_4:10 Aquele que desceu [Jesus] é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas.

    1Tm_6:16 Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível [acima de todos os céus]; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno.

    Apesar de não termos explicitamente na Bíblia a expressão "ir para o céu", temos muito claro que, para o salvo, sair desta vida significa "estar com Cristo, o que é ainda melhor" (Fp 1:23). Portanto, não é o "lugar" futuro que o crente almeja, mas a companhia de Jesus, algo que ele já desfruta aqui apesar das barreiras criadas por este corpo ainda imperfeito. Será bom estar no céu, mas não são as sensações de felicidade ininterrupta que o crente busca, e sim a Pessoa que o salvou: Jesus.

    Alguns erros surgiram ao longo dos séculos de cristandade, um deles a ideia de que o crente que morre ficaria em uma espécie de sono da alma. Isso é logo descartado pelo caso contado pelo Senhor do rico e de Lázaro -- isto mesmo, "caso", pois a história do rico e de Lázaro não começa identificada como parábola, como o Senhor faz com as parábolas. Ambos estão muito vivos e conscientes.

    Obrigado e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  14. Prezado Metushelach,

    Tenho aqui mais 2 pontos para sua apreciação judaica em me ajudar a entender melhor no contexto hebraico.

    1) Em I Rs 17:21-22, deixa claro que Elias pede pela volta da ALMA no corpo do menino, e em Atos 20:9-10 ocorre algo semelhante, se a ALMA É MORTAL, em ambos os casos não deveriam ter pedido para que o espírito (FOLEGO) retornasse e não a ALMA já que a mesma "MORRE" com o corpo?

    20 Sobre Ec 9:5 eu pergunto se por um acaso se eu fico sem sabedoria eu deixarei de existir? Por um acaso uma pessoa que deixa de ser recompensado deixa de existir? Por um acaso se eu perder minhas lembranças eu deixarei de existir? Então como a alma nesse contexto pode morrer e deixar de existir?

    Obrigado e que o Senhor sempre te abençõe.

    ResponderExcluir
  15. Elias não poderia ter deixado a carta escrita antes de ser transladado para ser entregue anos depois no caso de 2 Cr 21:12?

    ResponderExcluir
  16. No fato que vc colocou a hipótese de Elias não ter sido transladado, mas morreu normalmente, vc usou essa passagem de 2 Cr 21:12 para justificar sua visão, daí eu coloquei essa situação onde a dita carta poderia ter sido escrita previamente e entregue de 5 a 8 anos após ele ter sido transladado. Entende minha opinião?



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANONIMO,

      Eu entendi sim, por isso eu fiz a pergunta, no que implica isso?

      Excluir
  17. Implica no fato de que esse acontecimento é dogma de muitos movimentos religiosos, uns para o sono da alma e outros para a visão kardecista de um mundo dos espiritos conscientes, o que eu ainda nao tenho uma opiniao definida...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      A questão esplanada no comentário é simples, Elias não morreu, então não é um fantasma que mandou uma carta mas sim o próprio Elias que apenas foi teletransportado de um lugar para outro para que se cumprisse uma profecia especifica a Eliseu.

      Excluir
    2. Em outras palavras vc quer dizer que a carruagem de fogo era uma espécie de DeLorean (Máquina de viagem no tempo do filme De volta para o futuro - clássico dos anos 80), ou seja Elias "McFly" era um viajante do tempo, portanto a Bíblia atesta que é possível viajar no tempo e espaço? Seria isso?

      Excluir
  18. Engraçadinho!!!!!!!!!!!!

    Pra começar eu falei Teletransportado de um lugar para outro, e não de uma data para outra.
    Fora que a carruagem de fogo apenas separou Elias de Eliseu, sendo que Elias foi levado por redemoinho (II Reis 2:1 e 11)e não pelo seu DeLorean.
    Leias os comentários acima para entender melhor.

    ResponderExcluir
  19. Peço desculpas por minha comparaçao, mas não resisti, quanto ao teletransporte eu entendi, porém tenho que ser sincero que nunca ouvi essa teoria e nem nunca li, mas sem dúvida é muito inusitada e interessante.

    ResponderExcluir
  20. Shalom Metushelach,

    Se o corpo volta ao pó e o espirito volta a Deus e a alma deixa de existir o que será julgado quando Yeshua voltar?

    Eu sou iniciante dos Estudos das Sagradas Escrituras e gostaria de aprender a verdade pois Yeshua era judeu então temos que ter uma visão judaica para podermos entender.Se você puder me ajudar acrescer no entendimento ficaria muito grato.

    Se você puder analise esse estudo e me diga o que acha.

    ESTUDO

    Sepultura - Uma sepultura é uma cova funerária, um jazigo; é um lugar onde se enterra o cadáver. O Seol, porém, não é uma sepultura. Considere os seguintes fatos:
    Na primeira ocorrência de Seol na Bíblia, Jacó falou que desceria ao seu filho José no Seol (Gênesis 37.35). Ele pensava que José tinha sido devorado por uma fera e portanto, não acreditava que José estivesse em alguma sepultura. Contudo, disso que desceria ao seu filho, ao Seol. Seol, pois, não é a sepultura.

    1 - A língua hebraica usa "qeber" ou "qeburah" para Indicar uma sepultura; nunca usa a palavra Seol para isto. A língua grega não usa Hades e sim, "mnemeion", "mnema" ou "taphos" quando quer falar de sepultura.

    2 - Existem muitas sepulturas espalhadas por toda a face da terra, mas só existe um Seol (ou Hades). A Bíblia não usa o plural destas palavras.

    3 - Todas as sepulturas que existem são de propriedade particular; lemos na Bíblia da sepultura (qeber) de Jacó (Gênesis 50.5) e da sepultura (qeburah) de Raquel (Gênesis 35.20) e de multas outras. Nunca lemos do Seol (ou do Hades) de alguém, pois o Seol (ou o Hades) não é de propriedade particular.

    4 - As sepulturas têm localização geográfica. Nos dois casos citados acima, vemos que a sepultura de Raquel estava no caminho de Efrata (Gênesis 35.19) e a de Jacó estava em Canaã (Gênesis 50.5). A Bíblia, porém, não Indica nenhuma localização geográfica do SeoI; não se acha neste país, nem em qualquer outro.

    5 - Todos têm visto muitas sepulturas; nenhum homem vivo jamais viu o Seol (ou o Hades).

    6 - Os homens cavam sepulturas (Gênesis 50.5) e compram sepulturas (Gênesis 23.9), edificam sepulturas (Lucas 11.47) e as adornam (Mateus 23.29). Ninguém cava, compra, edifica ou adorna o Seol (ou o Hades).

    O contraste entre o uso de Seol (ou Hades) na Bíblia e as palavras hebraicas e gregas que significam sepultura deixa bem claro que "sepultura" não é uma tradução correta de Seol (ou de Hades). Várias vezes a Bíblia usa Seol em contraste com o céu (Jó 11.8; Isaías 14.14 e 15; e Amós 9.2). São termos grandes demais para a mente humana; representam o desconhecido. Uma cova rasa na superfície da terra não serviria como contraste com o céu. Fica claro, pois, que, mesmo no uso poético da palavra, Seol não é a sepultura

    Muito obrigado e Fique com D'us!


    ResponderExcluir
  21. Acaso, o judaísmo assim como o cristianismo, também foi influenciado por civilizações anteriores, civilizações grega, egípcia e do oriente médio?

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz, Comente porfavooooooooooooor